João (77): «Não me preocupo com facilidade»

O João apresenta problemas cardíacos aproximadamente desde os seus quarenta anos de idade.

Amélia (70): «Era como se um elefante estivesse a pisar o meu peito»

Para a Amélia, os sintomas da fibrilhação auricular costumavam ocorrer de modo bastante súbito.

Cuide bem do seu coração

O coração é um dos órgãos mais importantes. É por isso que precisa de cuidar bem dele. Se tem uma anomalia do ritmo cardíaco, tal como fibrilhação auricular, por vezes depara-se com escolhas de tratamento difíceis que podem afetar o seu estilo de vida. Portanto, é importante que peça ao seu médico para informá-lo/a e falar consigo sobre a fibrilhação auricular, a utilização de anticoagulantes e o efeito destes na sua vida diária. Isto permite-lhe estar mais informado/a para tomar decisões. Este site descreve experiências pessoais de doentes e familiares e oferece listas de verificacão que podem ajudá-lo/a a preparar-se para uma conversa com o seu médico.